18 atrações culturais se apresentam no dia 1º de novembro em celebração ao Dia da Cultura

A curadoria realizada em parceria com o Coletivo Natora destaca a produção cultural dos jovens da periferia de Fortaleza.

No dia 5 de novembro se comemora o Dia da Cultura, com o objetivo de celebrar a data, o Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, realiza no dia 1º de novembro (quinta-feira) a “Artferia – Periferia no Centro”. A programação é uma parceria entre o Coletivo Natora e o Cineteatro e apresenta a produção cultural dos jovens da periferia de Fortaleza. Ao todo, 18 atrações culturais se apresentam no palco da Praça do Ferreira e no Foyer do Cineteatro, das 12h às 18h, em uma grande celebração que envolve diversas linguagens, entre elas: poesia, circo, música, fotografia, dança, performance e artes de rua.  Convidamos à todos para se conectar com as manifestações artísticas das juventudes das periferias de Fortaleza e da Praça do Ferreira.  

“Nos tempos atuais, a cultura e a arte se fazem ainda mais essenciais, sendo espaços como este oportunidades para vivermos as expressões de vida, sentidos e afetos”, afirma Rachel Gadelha, Diretora do Cineteatro São Luiz. “O São Luiz é esse espaço acolhedor, plural, afetivo e acessível. Fazemos o convite aos cearenses para estarem conosco neste momento,  celebrando aquilo que nos move: a nossa arte, a nossa cultura.”, finaliza.

Confira a programação completa abaixo:

12h às 13h – VIVÊNCIA EM PERCUSSÃO COM RAFAEL OLIVEIRA

Integrante do movimento de juventude negra e arte cultura na cidade de Fortaleza. Contempla uma vasta vivência em grupos culturais e folclóricos. Trabalha também na junção de ritmos afrocearences dentro da levada que reverberar o sentimento de resistência dos ritmos que acompanham a periferia historicamente.

13h às 18h – FÔLEGO

Evidenciar as íntimas relações entre arte e potência de vida, Fôlego opera um corte na normalidade cotidiana, desvia fluxos e usos prescritos do espaço urbano, convoca o estar junto e provoca a inquietude, partindo de uma reflexão sobre o suicídio, ato de extremidade que evidencia o colapso das relações e as pressões em torno da saúde mental. A performance é uma provocação sutil ao encontro, ao desconhecido como parte integrante de uma alternativa ao enfrentamento desse tempo hostil que a sociedade contemporânea nos impõe. O cuidado como prática estética, o olhar como poética e a vida como política sustenta as intenções da obra.

13h às 18h – EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA ‘’DOIS VETIM’’ (Praça do Ferreira)

O Coletivo DoisVetim, composto por um fotógrafo e uma fotógrafa de periferia, surge com o intuito de colocar as periferias de Fortaleza, assim como a arte e a cultura desses locais, em forma de imagem. Buscando colocar as cores, energias e potências da favela como tema central.

13h às 13h40 – “MAIS UMA BESTEIRA” DO GRUPO AS 10 GRAÇAS DE PALHAÇARIA (Praça do Ferreira)

Criado em 2013, é o espetáculo com maior visibilidade d’as 10 Graças. Já são mais de 200 apresentações, contando roda de rua e importantes festivais de teatro e circo. 4 estados, 23 cidades, e o trabalho se mantém vivo e em circulação.

INTERVENÇÃO – MAYA (Praça do Ferreira)

Maya é artista de rua e um de seus palcos é a Praça do Ferreira. Suas coreografias contracenam com diversos artistas mambembes que também utilizam a praça como palco. Maya irradia alegria através da dança e é presença confirmada no nosso Dia da Cultura.

13h40 às 13h50 – JARDSON REMIDO (Praça do Ferreira)

Usando uma ligação entre a linguagem da periferia com a educação, o poeta Jardson Remido promove uma inclusão sociocultural por meio de um debate próximo aos jovens de Fortaleza, usando manifestações artísticas e conscientização.

13h50 às 14h20 – “SUICÍDIO, PIZZA E RINOCERONTES” DO GRUPO EU E OUTROS (Hall do São Luiz)

A esquete, Suicídio, pizza e rinocerontes é fruto da elaboração dos alunos do grupo de teatro “Eu e os outros”, ministrado pelo professor Renato Severo, do Cuca Mondubim. Criada em abril de 2017 o elenco da performance é composto por Esther Matos, Yago Nunes e Rafael Martins. Após um ano de criação, a esquete foi apresentada em vários eventos, incluindo os Saraus do Cuca Mondubim, mostras culturais da Rede Cuca, Livraria Cultura na primeira edição do “Vida e arte convida”. A apresentação aborda uma temática preocupante, o suicídio, de forma consciente, leve e descontraída, por meio da linguagem universal teatral.

INTERVENÇÃO – MAYA (Praça do Ferreira)

14h –  INTERVENÇÃO DE GRAFFITI COM SPOT

Envolvido com arte urbana desde o ano de 2000, desenvolve na rua seu trabalho com letras distorcidas e personagens cartunescos, atua no Coletivo Servilost onde pratica ações que visam evidenciar as potências nas periferias através da arte, educação ambiental e cultura.

14h20 às 15h20 – SLAM GENTIL + MIC ABERTO (Praça do Ferreira)

O Slam Gentil promove uma roda cultural onde todos podem expressar seus sentimentos através da poesia falada. O trabalho mostra para sociedade que poesia é também uma forma de resistir às opressões que são impostas dia após dia principalmente dentro das favelas.

INTERVENÇÃO – COLORAL (Praça do Ferreira)

Colorau e “O Ronaldo” já viraram ícones da Praça do Ferreira, a dupla traz números de palhaço com longa experiência nas artes de rua onde misturam o bom humor cearense e desafios de embolada.

“- Colorau, e quem não deu nada?

– Que num passe de hoooje!”

MATHEUS E RODRIGO FERREIRA – VOZ E VIOLÃO (Hall do São Luiz)

15h20 às 15h30- LARISSA PAIVA (Hall do São Luiz)

É acadêmica em letras, dançarina independente e integrante do Coletivo Natora, o qual atua na área periférica do Pirambu/Carlito Pamplona, onde reside. Ingressou no Ballet aos 12 anos, abrindo alas depois para novas experiências e formações e adquirindo experiência em vários outros estilos como o Jazz, a Dança Contemporânea, Danças Africanas e o Hip Hop, modalidade da qual hoje se dedica mais.

15h30 às 15h50- SUBCONSCIENTE EM PAUTA (Praça do Ferreira)

Subconsciente em pauta,é um grupo formado por 3 moradores de periferias de bairros diferentes que relatam em suas poesias toda a realidade das periferias de fortaleza e do brasil a fora. Pautando assuntos que levam a pensamentos além da consciência.

15h50 às 16h10 – SAMILLE ERVELLY | COVER BEYONCÉ (Praça do Ferreira)

Com 4 anos de existência, a equipe Samille Ervely tem passagem por lugares dentro e fora de Fortaleza, onde transmite a mensagem contida nas canções de Beyoncé, sobre empoderamento feminino e igualdade de gênero, questões política e sociais. O espetáculo é composto por muita dança, interação audiovisual com interludes e projeções durante o show, figurinos e músicas de sucesso como: Single Ladies, Crazy In Love, Run The World, Flawless, Formation, Diva e etc.

16h20 às 18h00 – DJ PIÁ (Workshop do Passinho), Baile Black (Com DJ Perigo), Nego Célio, É nois Crew (Hall do São Luiz)

DJ PIÁ | Articulador comunitário e integrante do coletivo Natora, começou atuando dentro da comunidade onde mora, promovendo atividades e oficinas para os moradores da região, principalmente sendo Dj, tocando em saraus e eventos musicais. Fez parte do processo de criação do projeto Afrontamento (Gente de lá ) do laboratório de dança do porto Iracema das artes.

Foi idealizador do Baile da Castanhola, evento de música que tem como objetivo potencializar Djs locais da periferia, tendo como gêneros principais o Hip hop, Funk e Reggae.

Baile Black (com Perigo DJ) | Perigo DJ é o projeto do jovem Fortalezense Fabrício Ribeiro. Com uma pesquisa variada, mistura sons ecléticos que vão do funk brasileiro até o eletrônico com experimentações percussivas. Perigo é DJ residente da festa Baile Black do Coletivo Afro-Raizes. Em agosto de 2018, foi convidado a produzir um mix pra gravadora SALVIATEK do Uruguai, assim ganhando espaço pra mostrar sua pesquisa musical pra outros DJs e produtores da América latina. Em seu mix ele promete trazer todo o calor do club do bass mundial ao funk brasileiro.

É Nois Crew | Fundado em 2011 com intuito de propagar o break e mostrar o break de rua. É Nois Crew é estilo de vida. Além de apresentações, o grupo realiza palestras e workshops, além de competições de breaking.

Nego Célio | Nego Célio é mais um apaixonado pela arte dos toca-discos, entrou no meio da música como cantor de Rap no ano 2000, após 10 anos convivendo de perto com Djs resolveu não permanecer apenas em um elemento do Hip-Hop e mergulhou de cabeça nas picapes. Em 2011 criou o projeto Funkada na Cabeça que acontece semanalmente em alguns Bares da cidade. Junto com o Dj Gato Preto, em 2014, formou a dupla “Os Imperdoáveis”, que se destaca pelo repertório de Black Music dos anos 70, 80, e 90 no Vinil.

Nego Célio já se apresentou nas principais casas noturnas de Fortaleza e em grandes festas da cidade, atualmente participa da Tertúlia Black Vândala – coletivo de djs que promovem bailes blacks gratuitos nas ruas e praças.