Argonautas convidam Zé Renato

Em maio de 2018, os Argonautas deram início ao projeto “Argonautas Convidam”, em que criam parcerias com artistas de renome nacional. Nesse projeto, os cantores têm a oportunidade de revisitar sua carreira em arranjos inteiramente originais e o público pode prestigiar músicos da sua terra lado a lado com figuras que sempre admirou. Zé Renato, que faz parte do Boca Livre, mas também tem uma carreira solo muito conceituada, traz novo brilho para os palcos e dá início ao “Argonautas Convidam” no dia 21 de julho, às 18h, no Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult). O evento já está com ingressos à venda por R$10 (meia) e R$20 (inteira) na bilheteria do Cineteatro e no site da Tudus.

Argonautas

Formado em 1999 em Fortaleza, o grupo exibe músicas próprias e releituras de obras relevantes do cancioneiro brasileiro. Bossa nova, samba, maracatu, frevo, música instrumental, música do Movimento Armorial, cirandas, Tom Jobim, Chico Buarque, Edu Lobo, João Gilberto, Luiz Gonzaga, Antônio Nóbrega, Astor Piazzolla, JS Bach, Mozart, Beethoven, Brahms, Debussy, Rachmaninoff, Stravinsky e Villa-Lobos são as principais influências dos Argonautas. 

Mas como unir todos esses universos sonoros e artísticos e combiná-los em uma só linguagem? É nisso que os Argonautas vêm trabalhando, desenvolvendo sua sonoridade. O resultado não é um só. Em cada nova canção, em cada novo arranjo, em cada gravação o grupo pretende abrir uma nova vereda, que ele próprio descobriu ao se encantar, antes, com as possibilidades das músicas dos seus antepassados e mestres.    

O quarteto trabalha com vários instrumentos: violão, piano, viola, flauta, acordeon, saxofone, clarinete, guitarra, metalofone/glockenspiel, bandolim, contrabaixo, bateria e diversos instrumentos de percussão.

Zé Renato

Depois de diversas iniciativas musicais, em 1976, integrou o grupo Cantares ao lado de Marcos Ariel e Juca Filho, entre outros. Com o Cantares lançou um compacto duplo (1978), tendo como padrinho Toninho Horta. No mesmo ano formou, com Claudio Nucci, David Tygel e Maurício Maestro, o quarteto vocal e instrumental Boca Livre, acompanhando Edu Lobo em diversos shows pelo país.

Em 1979 o Boca Livre grava seu primeiro LP, independente, cujas vendas superaram a marca das cem mil cópias vendidas. O Boca Livre muda sua formação, em 1980, com a entrada de Lourenço Baeta no lugar de Claudio Nucci e lança o segundo LP, “BICICLETA”, (1981), reafirmando projeção nacional e construindo uma vasta discografia.

Paralelamente ao seu trabalho com o Boca Livre, Zé Renato construiu uma carreira solo consistente e participou individualmente de vários projetos musicais. Em 1982 lançou “FONTE DA VIDA”, seu primeiro disco solo, e, em 1984, “LUZ E MISTÉRIO”, ambos pela gravadora Polygram/Philips. 

Em 2000, desligou-se do grupo Boca Livre para dedicar-se a sua carreira solo em franca ascensão. Neste ano lança “FILOSOFIA” (MPB), contendo canções de Noel Rosa e Chico Buarque, e “MEMORIAL” (Biscoito Fino), trabalho em duo com o maestro e compositor Wagner Tiso. 

Em 2006 retorna ao Boca Livre, junto com David Tygel, Maurício Maestro e Lourenço Baeta. Em 43 anos de carreira, Zé Renato vem construindo seu nome com um pé fincado na tradição da música brasileira e outro em seu próprio talento de intérprete, aberto ao novo, mas nunca esquecendo de suas influências. Constam da relação dos intérpretes de suas canções artistas como Zizi Possi, Leila Pinheiro, Milton Nascimento, Lulu Santos, Jon Anderson, Nana Caymmi, MPB-4 e Boca Livre, entre outros.

SERVIÇO

Argonautas convidam Zé Renato
21/07 às 18h
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)À venda na bilheteria do Cineteatro e no site da Tudus.