gigantes pela própria natureza
por célio celestino

No ano de 2016 adquiri uma coleção de revistas (National Geographic) datadas entre as décadas de 1960 a 2000, nesse acervo pude perceber a riqueza de imagens fotográficas e fatos que ali se apresentavam. Fotografias repletas de ruídos envelhecidas pela ação do tempo e de outros fatores externos; fatos ocorridos há mais de cinquenta anos, se apreciados com mais acuidade, perceptivelmente repletos de fantasmas que continuam a assombrar a sociedade. Distintos são os fragmentos contidos nesse acervo: racismo cotidiano, assassinatos generalizados, lutas pelo poder, espoliação dos bens naturais de terras colonizadas, histórias construídas por meio de explorações de pessoas, destruição do meio ambiente, conflitos políticos e religiosos, crises culturais e econômicas... Situações geradas por ações humanas que até hoje se repetem, deixando marcas e gerando novas fissuras sociais.

Partindo dos fragmentos encontrados nessas revistas, venho há algum tempo desenvolvendo novos encontros e gerando ressignificações para as imagens escolhidas, alterando o contexto originário das mesmas e explorando possibilidades discursivas por meio do rearranjo entre escala e espaço.

 

O meu gesto é uma mescla entre o saque de imagens em revistas de cunho hegemônico, de forte apelo iconográfico, produzidas com a finalidade de apresentar o que algumas nações possuem de “exótico”, e o antropofágico, no sentido de que me alimento desse material regurgitando novos universos improváveis, e que se situam no limiar entre a representação e a realidade.

 

Nos trabalhos podemos observar a preponderância de trabalhos em pequenos formatos no sentido vertical. Toda essa série de colagens se configura a partir de recortes de revistas.

- Célio Celestino.

(Sobre o processo de criação) É estar disposto a discutir aspectos que vão para além do gesto de recortar e colar, mas que se configura a partir de outras ações anteriores, tais como a aquisição de material, que eu chamo de garimpo, o deslocamento, a maturação afetiva para com as imagens selecionadas e, sobretudo, esse olhar pra variedade humana em seus aspectos peculiares, que são postos à margem, como nossos povos originários”.

- Célio Celestino

Célio Celestino. Artista visual, natural de Fortaleza (CE), cidade em que mora e trabalha. Tem experiência em artes visuais, ensino de arte e pesquisa.

FORMAÇÃO ARTÍSTICA
Escola Porto Iracema das Artes, Fortaleza Ceará
- Laboratório de Artes Visuais, com interlocução de Clarissa Diniz (134h), 2017
- Curso Dimensões Éticas entre Arte, Artistas e Instituições (8h), com Gabriela Motta, 2016
- Curso Pesquisa em Arte Contemporânea (45h), com Solon Ribeiro, 2016
- Curso Eu, o Outro (8h), com Efrain Almeida, 2016
- Laboratório de Fotografia Contemporânea (40h), com Eder Chiodetto, 2015

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS
2019
- Saga viva em cenários de mentira, Porto Dragão, Fortaleza, Ceará 

2014
- Híbridos, Sesc Senac Iracema, Fortaleza, Ceará

EXPOSIÇÕES COLETIVAS
2019
- Resistências, Galeria Recorte, São Paulo, SP
- 20ª Unifor Plástica, Fortaleza, CE
- A Obra, Casa D’Alva Galeria, Fortaleza, CE
- Que vai chover amanhã, Sobrado Dr. José Lourenço, Fortaleza, Ceará

2018
- 14° Salão Nacional de Itajaí, Casa de Cultura Dide Brandão, Itajaí, Santa Catarina
- 69° Salão de Abril, Casarão Barão de Camocim, Fortaleza, Ceará
- Simultâneos, MAC - Dragão do Mar, Fortaleza, Ceará

2017
- 23° Salão Anapolino, Galeria Antônio Sibasolly, Anápolis, Goiás
- 68° Salão de Abril Sequestrado, Sem Título Galeria, Fortaleza, Ceará

2016
- 35° Salão Arte Pará, Casa das Onze Janelas, Belém, Pará
- 67° Salão de Abril Afetos, MAC - Dragão do Mar, Fortaleza, Ceará
- 18ª. Mostra Sesc Cariri das Artes, Galeria Patativa do Assaré, Juazeiro do Norte, Ceará
- Conter Expor Apresentar Mostrar, Sobrado Dr. José Lourenço, Fortaleza, Ceará
- Em Desalinho, Sem Título Galeria, Fortaleza, Ceará

2015
- 17ª. Mostra Sesc Cariri das Artes, Centro Cultural BNB, Juazeiro do Norte, Ceará
- Interstícios, MAC - Dragão do Mar, Fortaleza, Ceará


PRÊMIOS E BOLSAS
2018 - 69° Salão de Abril, Prêmio Participação, Casarão Barão de Camocim, Fortaleza, Ceará
2016 - 67° Salão de Abril Afetos, Prêmio 2° lugar, MAC - Dragão do Mar, Fortaleza, Ceará
2016 - VI Bolsa de Incentivo à Produção em Artes, SECULTFOR/Inst. Bela Vista, Fortaleza, Ceará

CINETEATRO SÃO LUIZ
Rua Major Facundo, 500 - Centro | Fortaleza - Ceará |  CEP: 60025-100

Bilheteria: (85) 3252.4138
De Terça a Sábado – 10h às 18h30

© 2020 – Cineteatro São Luiz |  Todos os direitos reservados
Desenvolvimento: Ascom Cineteatro São Luiz

  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter
  • YouTube
  • Telegram
  • Whatsapp