top of page

Amaro Freitas e Zé Manoel tocam “Clube da Esquina”

Em um formato intimista, o Cineteatro São Luiz recebe dois dos maiores pianistas brasileiros no show “Zé Manoel e Amaro Freitas - Clube da Esquina”, dia 03 de setembro, às 18h. Os artistas fazem show em homenagem ao histórico e premiado disco “Clube de Esquina”. Amaro Freitas e Zé Manoel passearão por obras que marcam a nossa história da MPB, como “Tudo que você podia ser” (Lô Borges e Márcio Borges) e “Cais” (Milton e Ronaldo Bastos).

Foto: Divulgação


O pianista pernambucano Amaro Freitas traz no jazz a linha condutora da sua carreira artística. “Sangue negro”(2016), “Rasif" (2018) e o mais recente “Sankofa” (2021), todos gravados com seu trio, narram o amadurecimento da sua curta trajetória artística ao longo de oito anos.


Seu conterrâneo, Zé Manoel também é pianista, compositor e cantor, conhecido e reverenciado pela crítica e pelo público mais atento à música independente brasileira. Gravado por artistas como Ana Carolina, Elza Soares, Fafá de Belém e Vanessa da Mata, Zé Manoel tem 3 discos e um DVD lançados no Brasil, sendo 2 editados no Japão.


Dois dos maiores pianistas brasileiros e contemporâneos se encontram num espetáculo intimista, em homenagem ao disco Clube de Esquina, Amaro Freitas e Zé Manoel, passearão por obras que marcam a nossa história da MPB, como: “Tudo que você podia ser” ( Lô Borges e Márcio Borges ) , “Cais” ( Milton e Ronaldo Bastos ).

“Cantar o repertório do Clube da Esquina, além de um grande desafio, é uma oportunidade impar de visitar e reverenciar artistas que fizeram e fazem parte da minha formação como músico e compositor. Assim como o projeto nasce do encontro de (grandes) artistas e amigos, tenho a honra de estar com um grande artista e amigo para reviver esse repertório de 1972, mas que continua vivo, atual e arrebatador”, afirma Zé Manoel.

Sobre Amaro Freitas e Zé Manoel

Amaro Freitas , traz no jazz, a linha condutora da sua carreira artística. “Sangue negro”(2016),“Rasif" (2018) e o mais recente “Sankofa”(2021) todos gravados com seu trio narram o amadurecimento da sua curta trajetória artística ao longo de 8 anos.

Desse mutante gênero, o pianista pernambucano fala de Moacir Santos e a sua obra imersa em centenários ritmos afro-pernambucanos, de Johny Alf e o seu pioneirismo com a Bossa Nova e da universalidade de jazzmens como: Milton Nascimento. Todos criadores negros que resignificaram o jazz e a música popular brasileira.

Escolas aparentemente distintas, mas que também têm pontos convergentes: entre outros, grooves mântricos e melodias marcantes.

Tais melodias, que expressam com primor o pianismo sofisticado do também cantor, Zé Manoel, pianista, compositor e cantor pernambucano, conhecido e reverenciado pela crítica e pelo público mais atento à música independente brasileira. Gravado por artistas como Ana Carolina, Elza Soares, Fafá de Belém e Vanessa da Mata. Para quem se pergunta se ainda é possível fazer algo que se convencionou chamar de MPB em algum momento lá dos anos 1970, e está quase desiludido com tanta música de barzinho travestida do gênero, Zé Manoel é um alento: ainda é possível; ainda pode existir vida além das fronteiras delineadas pelo mercado e pela música independente, sendo ousada, ainda que apegada à tradição.

Zé Manoel tem 3 discos e um DVD lançados no Brasil, sendo 2 editados no Japão. Delírio de um Romance a Céu Aberto (2016), vencedor do Prêmio da Música Brasileira na categoria Projeto Especial. Em Outubro de 2020, lançou seu quarto álbum, intitulado Do Meu Coração Nu, com participações de nomes como Luedji Luna, do maestro Letieres leite (Orquestra Rumpilezz), da cantora norte americana Gabriela Riley, num projeto onde aborda questões raciais, através de críticas sociais, do amor preto, do diálogo com outros artistas e pensadores pretos, com o intuito de reconstruir as histórias perdidas na diáspora africana. O álbum foi indicado ao Grammy Latino 2020 na categoria melhor disco de música brasileira.


<< SERVIÇO >>


[SHOW] “Zé Manoel e Amaro Freitas - Clube da Esquina”, com Zé Manoel e Amaro Freitas

Data: 03 de setembro de 2023 | Horário: 18h | Duração: 1h20min | Classificação Indicativa: Livre

Entrada: R$80,00 (inteira) R$40,00 (meia). Os ingressos estão à venda no Sympla e nas nossas bilheterias

Local: Cineteatro São Luiz - R. Major Facundo, 500, Centro

Horário de funcionamento da bilheteria: Terça a Sexta - 9h30 às 18h / Sábado – 9h30 às 17h. Horários sujeitos a alterações, de acordo com a programação. Telefone para contato: (85) 3252.4138


bottom of page