Texto inédito de Cupertino Freitas é encenado por Priscila Queiroz nesta terça (27)

Durante a pandemia de covid-19, Savana, em isolamento social rígido há mais de um ano, resolve encarar o desafio de fazer terapia virtual para lidar com uma inusitada questão que a tem incomodado muito recentemente. Esta introdução é sobre o texto "Eu acho que o Pôncio me odeia" de Cupertino Freitas que em uma montagem virtual é encenado por Priscila Queiroz. A leitura dramática estreia na faixa de programação “Primeira Versão” do Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), nesta terça-feira (27), às 18h.


Com uma pitada de humor, o texto expõe as idiossincrasias de uma mulher que, aterrorizada por uma crise sanitária sem precedentes, optou por viver em lockdown perene até que seja completamente imunizada.


A proposta do “Primeira Versão” busca ser um espaço de encontro e provocações entre artistas. Nesse palco virtual, após a leitura dramática, Pedro Domingues faz a mediação de um bate-papo ao vivo com Cupertino Freitas e Priscila Queiroz. Em pauta, o texto interpretado e o processo de montagem da leitura. Toda a programação virtual ocorre através do site e canal de YouTube do Cineteatro.



Sobre o Autor


Escritor, dramaturgo e professor de Escrita Literária, Cupertino Freitas tem especialização em Roteiros para Cinema e fez cursos em escrita criativa e dramaturgia. Participa do coletivo de escritores Delirantes e do coletivo de dramaturgos Peripécias. Em sua passagem por um grupo de dramaturgos e roteiristas amadores de Boston, criou o roteiro de um longa-metragem que foi transformado em seu primeiro romance, Judas no Paiol, lançado em 2018 pela Editora Moinhos. Seu segundo romance, Cidade Santa, foi publicado pela Editora Folheando em 2020. Tem contos publicados em várias coletâneas e foi premiado em diversos concursos literários.




A intérprete


Priscila Queiroz é atriz, intérprete-criadora e performer. Começou seus estudos de artes em 1999 com diversas participações em montagens e experiências cênicas em Fortaleza. Em São Paulo se graduou em Teatro, fez especializações em Artes Cênicas e fez curso técnico em dança, além de participar de peças de teatro, de dança e performances. Atualmente em Fortaleza tem participado de alguns experimentos cênicos, performances e cursos.









Mediador do bate-papo


Pedro Domingues, bacharel em Artes Cênicas, atuou e dirigiu dezenas de espetáculos. Foi homenageado com o Prêmio Dragão do Mar, da Secretaria da Cultura, em 1998. Em 2008, recebeu o Troféu Carlos Câmara, maior comenda teatral cearense, concedida pelo grupo Balaio aos que ajudaram a construir a história do Teatro no Ceará. Foi presidente da Federação Estadual de Teatro Amador e um dos fundadores do Sindicato dos Artistas do Ceará. Na gestão pública, foi Secretário de Cultura de Barbalha, Coordenador de Ação Cultural da Secult/CE e exerceu a função de Coordenador Geral da Secretaria da Cidadania e da Diversidade, no Ministério da Cultura. Na Prefeitura Municipal de Fortaleza, dirigiu o Teatro Municipal São José. Trabalhou na Secretaria de Cultura de Aquiraz e atualmente é Diretor Geral do Theatro José de Alencar



Serviço


Dia 27/7 (terça-feira)

Onde: no site www.cineteatrosaoluiz.com.br e no canal de YouTube do Cineteatro https://www.youtube.com/c/CineteatroSãoLuizFortaleza


Às 18h [Primeira Versão] "Eu acho que o Pôncio me odeia", texto de Cupertino Freitas | Interpretação de Priscila Queiroz

Classificação: Livre Duração: 30 minutos (aproximadamente)


Às 18h30 [Após a exibição] Bate-papo ao vivo com Cupertino Freitas e Priscila Queiroz | Mediação de Pedro Domingues

Classificação: Livre | Duração: 60 min (live)