Homenagem a José Saramago inaugura parceria com Academia Cearense de Letras

Documentário “José e Pilar” é exibido gratuitamente no lançamento de “Cinema e Literatura”, nova faixa de programação do Cineteatro São Luiz criada em parceria com Secretaria da Cultura do Ceará, Instituto Dragão do Mar e Academia Cearense de Letras


Com a proposta de exibir mensalmente obras audiovisuais que retratam a vida de consagrados escritores brasileiros e estrangeiros, dia 19 (sábado) às 10h, será lançada a nova faixa de programação “Cinema e Literatura”, do Cineteatro São Luiz, equipamento da Secretaria da Cultura do Ceará (Secult Ce) gerido pelo Instituto Dragão do Mar (IDM), em parceria com a Academia Cearense de Letras (ACL). A estreia da programação presta homenagem ao centenário do escritor José Saramago com o longa-metragem “José e Pilar”, de Miguel Gonçalves Mendes.



Com exibição gratuita de diferentes títulos, a iniciativa foi idealizada pelo Sr. Lúcio Alcântara, atual presidente da Academia Cearense de Letras, e dialoga com a linha curatorial de cinema do Cineteatro.


“Eu sempre entendi que há uma certa relação entre as duas linguagens, a do cinema e a da literatura. Por isso, assim que assumi a presidência da Academia Cearense de Letras, busquei encontrar uma forma de conjugar essas duas expressões da cultura, de maneira a aproveitarmos o potencial de cada uma. Então procurei o Instituto Dragão do Mar, onde recebi uma carinhosa acolhida”, afirma Lúcio Alcântara.


Com o apoio do IDM, foi possível formular a proposta da iniciativa, que vai ser realizada ao longo deste ano, com as exibições mensais no Cineteatro. “Agradeço a Rachel Gadelha, que dirige o Instituto Dragão do Mar, e ao Duarte Dias, que é o encarregado de colocar em movimento essa programação no São Luiz, a forma como acolheram a minha ideia e procuraram torná-la viável dentro de pouco tempo”, finaliza.


Para Rachel Gadelha, presidenta do Instituto, “é uma honra acolher uma iniciativa da Academia por meio da proposta apresentada pelo sr. Lúcio Alcântara, uma pessoa da maior relevância para a cultura e a arte cearense, apoiador das causas culturais há muitos anos, seja como governador ou como atual presidente da Academia Cearense de Letras”, ressalta.


Rachel também observa a proximidade das duas instituições, tanto territorialmente, quanto de conceito e finalidade. “Faz todo sentido esse apoio, essa união entre essas duas instituições, assim como entre o cinema e a literatura, numa conjunção que oferecerá ao público, além de uma programação cultural diferenciada, o retorno das matinês no Centro da cidade, onde a experiência do filme, e também do lugar, falam por si”, conclui Rachel.


Para Fabiano Piúba, titular da Secretaria da Cultura do Ceará, a literatura e o cinema são duas linguagens vitais para interpretação do mundo, por isso que sempre caminharam muito irmanadas. “Essa iniciativa da ACL, com Secult, IDM e Cineteatro é muito importante, porque o São Luiz tem sido um ambiente tanto de formação de plateia, como de repertórios. Para além de uma grade na programação para fruição, também é ambiente de formação, onde esse projeto pode chamar o cinema para literatura e a literatura para o cinema, e assim a gente tem uma ação tão relevante para formação dessas duas artes”, afirma o secretário.


O filme que assinala a estreia da faixa de programação no Cineteatro é o premiado documentário “José e Pilar”, do diretor português Miguel Gonçalves Mendes. A exibição da obra se insere no marco das celebrações, neste ano de 2022, do centenário do notável escritor, Prêmio Nobel de Literatura de 1998.


Para o programador e curador do cinema do Cineteatro São Luiz, Duarte Dias, a nova faixa de programação é uma ótima oportunidade de oferecer ao público obras que, ao pôr em foco a trajetória de importantes escritores do Brasil e do mundo, também evidenciam a histórica intimidade entre o cinema e a literatura. “Desta forma, nos pareceu oportuno prestar, por meio da exibição do documentário ‘José e Pilar’, uma homenagem ao centenário de nascimento de um dos maiores escritores da língua portuguesa em todos os tempos, José Saramago, cuja produção literária, inclusive, tem sido alvo de exitosas adaptações cinematográficas. É também um tributo à cumplicidade e afeto do casal que nomeia o filme, algo que, acreditamos, deve ser ressaltado em igual medida”, destaca Duarte Dias.


O filme “José e Pilar”, que consumiu quatro anos de filmagens e mais um ano e meio apenas na edição, revela aspectos do pensamento e da vida do escritor José Saramago por meio do seu cotidiano com a jornalista espanhola Pilar Del Rio, sua esposa.


Considerado o responsável pelo efetivo reconhecimento internacional da prosa em língua portuguesa, José Saramago teve várias obras transpostas para as telas, como foi o caso de “Ensaio sobre a Cegueira”, adaptado para o cinema pelo cineasta brasileiro Fernando Meirelles (diretor de “O Jardineiro Fiel” e “Cidade de Deus”); “O Homem Duplicado”, livro que resultou no filme homônimo dirigido por Denis Villeneuve em 2014, e “Embargo”, adaptação do realizador português António Ferreira de um conto retirado de outro livro de Saramago, “Objecto Quase”, entre outros.


<<< Serviço >>>


CINEMA E LITERATURA | Estreia de faixa de programação com filme “JOSÉ E PILAR”

Data: 19 de março | Horário: 10h

Entrada: Gratuita | Classificação Indicativa: Livre

Local: Cineteatro São Luiz, Rua Major Facundo, 500, Centro.


Direção: Miguel Gonçalves Mendes | Brasil | 2010 | 2h05 | Documentário

Elenco: José Saramago, Pilar Del Río, Gael García Bernal

Sinopse: A relação entre José Saramago, prêmio Nobel de literatura em 1998, com sua esposa, a jornalista Pilar Del Rio, através do cotidiano do casal.